o que resta das imagens



Uma mulher no deserto Brincando de Solidão

                                               Enquanto isso outra comenta sua transfiguração

"A tecelã da noite.

                                                            Para o que olha? Para a aurora que tantas incertertezas traz?
                                                                                      O que desafia? As forças do dia e do sol?????
                                                    Não Sherazade, foi apenas um flash...Ainda é noite...
                          Volta ao teu mundo onírico, e nos conta suas belas histórias".
                                                                                                                                 (Maryse Camacho)
 
      Brincando de Sherazade
 

                                                                           então, nos diga o que andara fazendo de ti Sherazade

Brincando de Faz de Conta



"Faz de conta que nasci na Rússia e leio Dostoievsky em cirílico".




            "que nasci na Polônia e vejo os filmes de Kieslowsky em língua original".



Brincando de Ninfa


"que nasci na Indonésia e meu passatempo preferido
é estudar espanhol assistindo a filmes cubanos".




                                                         é até te ouvir dizer:

                                                           " E faz de conta que sou uma camponesa russa, e você, cansada
                                                        dos castelos e do cinza de St Petersburg, vai me vistar em Irkutsk,
                                                        onde moro em uma antiga casa de madeira..."
                                                                                                                                  (Maryse Camacho)


 ou até que tudo volte ao que era antes:...entediada e

                                                                                              Brincando de Espiã
é assim:
"-Spy... 
-Ahn?"
"como assim?"


assim, absoluta,
toda nudez será recitada




"digo: dos rios se abriu a nascente 
misturou-se nas águas, contente
 lançando mão dos fios 
para que a espuma dos dias se deleite"


Sabe lá:: espião ou agente...
uma mulher molhada é uma outra mulher
O que se esconde ou se revela somente
é o contar de Sherazade, preparando-se 
para  uma refeição através da refração de muitas espumas...


"Faz de conta que sou uma Branca de Apples"


e o veneno destas maçãs é a velocidade do seu preconceito...


e  o que escutas agora é o canto de uma 


serei-a


melhor palavra 
a que não caberia para essa
 imagem 
a que devora 




e me indago: 


Comment tu t'appelles? non


Comment tu...non


t'appelles? non


Comment tu t´appelles... non 









deitada nessa cama
retrocede a vida greco-romana 



aos meus olhos se renasce em ti os gestos perdidos 
de Apelles






menos, não
apetite 





aussi la sirène tu t'appelles


non


ce que tu désires 










não... frase










"naufrage"









afundar 
Sem bússolas
sem imã
sem rima
I´m a Dream


//////// NOS TRAVESSEIROS \\\\\\\\


Sono e vigília são coisas, quando ambas bem ancoradas


são tidas  do si mesmo


no repouso da Carranca apartada de teu corpo 




o império




fervido 


para se ir 


no perambulante à guiar

vertendo & invertendo


os sentidos



à torto

e sem saber de fato

Até onde se seguirá?

do "sem ti"

Para que, então, nos baste dizer



inocentes


 de um hiato

mesmo sem
sa-í-da
para reviver 


se produzir daquilo que nas coisas se vive ao


p         a          s           s           a          r


um ficou \ outro partiu


as palavras mágicas

do sem fim
 em
ti





do prazer:


"Dream a little dream of me"

acordados hibernar

e quem só quis entender


em seu 


e-go-ís-mo


no "mim"


e jamais do porto e de si partiu...


que vá 


recorrer no mesmo


 \\\\\\\\\\\\\\\\\AGORA////////////////


"pra puta que te pariu"
a esmo
e sem cabresto:


Dream mim




Sherazade, uma se fazendo em muitas

Vim inteira, me fiz em pedaços
catei tudo por aí

Os que esbarraram comigo, uns
me juntaram outros me
espalharam

Confesso que vivi

*


"But ?)
 for what ?)
life ?)
can be ?) 
so ?)
deadly !( "


Nenhum comentário: